terça-feira, 6 de maio de 2008

Belo belo

Aline, Li Vinicius, li Bandeira.. depois disso, muitos beijos
na boca vieram e o fato de entender Vinicius só reforça minhas convicções do
quanto prefiro Bandeira.


Comentário do Marcelo, do blog Saco de Filó, no post "Soneto de fidelidade"



Manuel Bandeira foi dos primeiros poetas que eu gostei de ler. Caí nas graças dele aos nove anos por culpa das Chiquititas - Sim, eu era uma fã histérica delas . Por mais estranho que pareça, em um trecho da novela, uma personagem leu à outra um poema de Bandeira e eu, metida a gostar de poemas, resolvi correr atrás.
Morava perto da biblioteca e pegava sempre o mesmo livro dele, uma coletânea de poemas escolhidos por não lembro quem.
Em especial, dois poemas me intrigavam e me intrigam até hoje: Boca de forno e Belo belo II (existe um Belo belo I). De Boca de forno eu vou deixar pra falar depois, mas devo me concentrar novamente nos meus nove anos pra falar de Belo belo.
A questão é justamente o número. Naquela época, aprendia a verificar contas usando a prova real e a prova dos nove.
Eu gostava daquele negócio, achava bonito somar dois e sete. Nem lembro mais como é que se tira a prova dos nove, só lembro que você somava, dava nove e depois: noves fora zero. Hoje faço contas de cabeça e sou tão arrogante que nem verifico, não sei mais dançar as coreografias das Chiquititas, mas em mim ficou que vida noves fora zero.

zeca baleiro - Bandeira



14 comentários:

Adrianah Aguiar disse...

na verdade eu nunca li Bandeira, gostei da forma como vc terminou "vida noves fora zero".bjuoooos

Narlir Galvão disse...

Grande Manuel Bandeira...

Tom disse...

Manuel Bandeira, junto a Machado de Assis e Franz Kafka, são os meus autores prediletos.

www.indicacao.wordpress.com

Vinicius Langa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
•.¸¸.ஐBruneLLa Wyvern disse...

homenagem merecida!
texto delicioso!

Thiara Pagani disse...

Em relação a Chiquititas eu prefiro me abster de comentários.
Eu nunca li muito Bandeira, se nãoe stivesse em uma fase de obrigatoriamente ter que me dedicara MAchado, em dedicaria Bandeira.
Viver é isso... Não da para fazer prova real para saber se esta errando ou acertando...

Alcione Torres disse...

Muito legal.
Não sou muito de ler Bandeira...

Sarapatel de Coruja

Super Wallace disse...

Muito bom o texto. Não curto muito poemas e muito menos chiquititas. Em suma, nunca gostei de matematica rsrsrs.

E, voce poderia explicar a prova dos nove que eu nao me lembro mais :(


ganhe dinheiro com seu blog

darsh. disse...

ainda não me conformo de ficar tão excluída em outros botecos.
longe, longe.

:(

carla m. disse...

é incrível como a gente pode chegar à coisas deliciosas partindo de uma verdadeira gororoba... rsrsrs

Tom disse...

Opa, já comentei nesse mesmo post, só para constar!!

www.indicacao.wordpress.com

dani cabrera disse...

Amo Manuel Bandeira!

Gostei do teu texto, me pôs a lembrar da minha infância. Cheirinho de maçã na merendeira e afins...rs

Obrigada pela tua visita, pelo post e pelo elogio!

Seja bem vinda sempre que quiser!

;)

Shamylle Alves disse...

boa sacada aline..
lendo seu texto tb voltei aos meus 9 anos...aaah época boa, vivia ralada de tanto cair de patins..ñ, eu ñ era ruim, o problema era q eu descia de patins a ladeira agarrada na bicicleta de algum amigo heuaheuahe
é bons tempos...e eu tb assisti chiquititas uhauhahauaha =P

Shamylle Alves disse...

ah esqueci de esclarecer...aqui é roberta na conta de sha sha....ñ sei pq mas soh na conta dela consigo mexer e acertar o texto =S